Balão Intragástrico | Tratamento Clínico

Quanto aos tipos de tratamentos para a obesidade temos a mudança de hábito alimentar, a atividade física, tratamentos farmacológicos e a cirurgia bariátrica. A reeducação alimentar é um processo através do qual se visa melhorar os hábitos da alimentação do indivíduo para que ele consiga atingir a perda de peso. Nesse processo aprender a reconhecer, classificar e escolher melhor os alimentos auxiliará na distribuição equilibrada desses durante o dia.

Em alguns casos é necessária a introdução de determinada medicação para um sucesso e adesão maior ao tratamento por parte do paciente. Dentre estas medicações existem os fármacos de ação periférica e os de ação central, temos também os fármacos que atuam sobre o metabolismo da termogênese (com produção de calor e maior consumo de calorias) e os que atuam diretamente sobre o sistema gastrointestinal diminuindo a absorção de gorduras.

Além dessas drogas, outras substâncias também podem ser utilizadas no tratamento medicamentoso da obesidade. Drogas como ansiolíticos, diuréticos, fibras, fitoterápicos, fórmulas manipuladas, fórmulas naturais, hormônio do crescimento e hormônios tiroideanos. A escolha do tratamento adequado para cada pessoa é uma tarefa difícil, pois se deve avaliar o grau de obesidade, doenças associadas e os vários tratamentos já realizados antes de se optar pelo tratamento cirúrgico como a melhor conduta para com o paciente obeso.

Atualmente quando se fala em pacientes que apresentam IMC superior a 40, obesos mórbidos, o tratamento mais eficiente e eficaz tem sido as diferentes técnicas cirúrgicas bariátricas. As tentativas de mudanças no estilo de vida culminaram em fracassos recorrentes e os tratamentos conservadores à base de dietas e drogas têm-se mostrado incapazes de produzir perdas de peso significativas e duradouras. De fato, as intervenções mecânicas, proporcionadas pelas inúmeras técnicas servem para aumentar o tempo de adesão ao tratamento, auxiliar na manutenção de peso e auxiliar no controle das comorbidades apresentadas pelos pacientes.